Últimas

Tabaco brasileiro continua apto a ser embarcado para a China


Agosto 2015 - A Missão Chinesa composta por técnicos da Administração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena (AQSIQ) da China (AQSIQ) encerrou nesta semana a inspeção de tabaco da safra 2014/2015 comercializada para o país chinês e iniciada em 03 de julho. A atividade de encerramento foi promovida pelo Sindicato Interestadual da Indústria do Tabaco (SindiTabaco), em Santa Cruz do Sul, e foi acompanhada por integrantes da AQSIQ, da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), empresas associadas, membros do Serviço de Sanidade Vegetal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Rio Grande do Sul (SSV/MAPA/RS) e da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SEAPA).

Segundo o presidente do SindiTabaco, Iro Schünke, o Brasil é o maior exportador e a China está entre os principais importadores do produto, contribuindo para os expressivos números que ano a ano geram renda e empregos para milhares de brasileiros. Em 2014, a China figurou como segundo maior país comprador do tabaco brasileiro: foram US$ 334 milhões embarcados. 

"Ano passado tivemos um avanço importante com a expansão do protocolo que possibilitou que o tabaco produzido em Santa Catarina e no Paraná também seja exportado para a China, como já acontecia com o produto gaúcho", disse aos presentes. Schünke também falou sobre a importância da atuação do MAPA e da Universidade de Santa Cruz do Sul que, segundo ele, têm sido grandes parceiros do setor e auxiliado a estimular as exportações e possibilitado as atividades. "Esperamos que a relação com a China continue se fortalecendo cada vez mais", concluiu.

Ni Xin, inspetor Chefe da AQSIQ, apresentou os resultados da pré-inspeção do tabaco produzido no Rio Grande do Sul e processado no período. O grupo inspecionou 43 mil toneladas de tabaco. Nas 134 amostras, analisadas no laboratório da Central Analítica da UNISC, não foram detectadas pragas quarentenárias importantes, qualificando o produto como apto para embarque. Ainda segundo ele, o MAPA tem informado anualmente quais agrotóxicos são utilizados na cultura do tabaco, confirmando estarem de acordo com o protocolo assinado entre os dois países.

Jairo Carbonari, chefe do SSV/MAPA/RS, ressaltou o longo caminho percorrido durante o ano para chegar neste momento. "A parceria entre áreas de pesquisa, governo e setor produtivo está consolidada e os resultados são a prova deste trabalho conjunto que é muito importante ser preservado", disse Carbonari, ressaltando a qualidade técnica da equipe da Unisc que acompanhou a inspeção, bem como o apoio das empresas e do Sindicato, além do suporte da SEAPA nas inspeções de campo. Ele ainda reforçou que 100% dos lotes exportados para a China são novamente inspecionados pelo MAPA, imediatamente antes do embarque. "Temos a garantia de que no momento do embarque o produto estará totalmente livre de qualquer tipo de praga", garantiu.

Jesulindo de Souza Junior, representante do Departamento de Sanidade Vegetal do MAPA, em Brasília, destacou a importância dos trabalhos do Ministério da Agricultura, em especial da Superintendência Federal do Rio Grande do Sul, nessa relação bilateral importante do agronegócio brasileiro com as exportações de tabaco. "O modelo existente no Sul do Brasil nas exportações de tabaco para a China é exemplar. O país chinês é, sem dúvida, um dos nossos grandes parceiros comerciais. Estamos confiantes que o Brasil tem totais condições de ampliar as exportações do produto ao país", concluiu.

MSLGROUP Andreoli
Eliana Stülp Krot
  • Comente
  • Comente no Facebook

0 comentários:

Item Reviewed: Tabaco brasileiro continua apto a ser embarcado para a China Rating: 5 Reviewed By: Ricardo Moura